Response of mammals to ecotourism, cattle farming, and habitat structure in the northern and southern Brazilian Pantanal

, , , ,

The Pantanal, the world’s largest wetland, is a biodiversity hotspot and home to several threatened species. The growth and transition of the local economy are a major threat to the ecosystem, and sustainable income sectors need to be established. The local economy is based mainly on cattle farming, while ecotourism has recently become important. Our study was conducted in two subregions of the Brazilian Pantanal, the northern subregion Poconé in Mato Grosso and the southern subregion Nhecolandia in Mato Grosso do Sul. Our results indicate that the two main economic sectors, cattle farming and ecotourism, can support sustainable development when operated at a small scale. Traditional cattle farming had no negative effect on mammalian wildlife richness or abundance in either of our study areas, whereas ecotourism did not affect species abundance but did affect species richness in a few cases. These results are derived from a ten-month camera-trap study (middle of July to middle of October 2010, end of December 2012 to beginning of March 2013, and middle of August to end of November 2013) conducted in both subregions. The habitats at both of our study sites consisted of a mix of forest and grassland savanna, the most important factor to support high species diversity. Our study is part of an ongoing long-term Pantanal mammal monitoring project aiming to introduce sustainable management practices.


Resposta dos mamíferos ao ecoturismo, pecuária e estrutura do habitat no Pantanal norte e sul do Brasil. O Pantanal, a maior área úmida do mundo, é um centro de biodiversidade e local onde vivem várias espécies ameaçadas. O crescimento e a transição da economia local são uma grande ameaça para esse ecossistema, portanto, é necessário estabelecer setores de renda sustentável. A economia local é baseada, principalmente, na pecuária, enquanto o ecoturismo se tornou importante recentemente. Este estudo, desenvolvido em duas sub-regiões do Pantanal brasileiro, a sub-região norte de Poconé, em Mato Grosso, e a sub-região sul de Nhecolandia, em Mato Grosso do Sul, demonstrou que esses dois setores econômicos podem apoiar o desenvolvimento sustentável quando conduzidos em pequena escala. A pecuária tradicional não demonstrou um efeito negativo sobre a riqueza ou abundância de espécies de mamíferos selvagens em nenhuma das áreas estudadas. Embora o ecoturismo, tambem não tenha afetado a abundância de espécies, observa-se, em poucos casos, que a riqueza de espécies foi afetada. Esses resultados são parte de um estudo de dez meses empregando câmeras trap (meio de julho a meio de outubro de 2010, fim de dezembro de 2012 a início de março de 2013 e agosto a novembro de 2013) em ambas sub-regiões. A estrutura do habitat, composta por florestas e pastagens, é o vetor mais importante para suportar a alta diversidade de espécies desse ecossistema. Esse estudo está inserido em um projeto de longo prazo de monitoramento de mamíferos silvestres do Pantanal, com o objetivo de introduzir práticas de manejo sustentável.