Mammals from a Pampa and Atlantic Forest ecotone in south Brazil

,

Ecotones generally present high diversity because they unite fauna that is characteristic of different biomes in a single location. Here, we inventoried medium and large-sized mammals at three sites (from 83 to 342 ha of native vegetation) in an ecotone between Atlantic Forest and Pampa in the central region of Rio Grande do Sul, Brazil, using complementary methods (camera trapping and active search). Between July 2017 and June 2018, we recorded 22 native mammals from seven orders and 15 families, representing 46.8% of the species expected to occur in the region (N = 47). Eight species are threatened in Rio Grande do Sul, four in Brazil, and one globally. We also detected two exotic species (Sus scrofa and Lepus europaeus) and one domestic (Canis familiaris). The most recorded species were Cerdocyon thous, Mazama gouazoubira, and Dasypus novemcinctus, which accounted for 61% of all detections. Species richness varied between 6 and 14 species among sampling sites, showing low similarity in species composition between pairs of sites (from 4 to 13%), with only two species (C. thous and Procyon cancrivorus) in common. Comparing our assemblages with others throughout the Atlantic Forest and Pampa of Rio Grande do Sul, we observed that small remnants of native vegetation still support the presence of regionally threatened species. Thus, despite anthropogenic pressures present at our study sites, such as poaching and roadkill, small remnants of native vegetation safeguard important mammal species and play an essential role in the long-term survival of the mammalian fauna.


Mamíferos de um ecótono entre o Pampa e a Mata Atlântica no Sul do Brasil. Ecótonos geralmente apresentam alta diversidade porque unem a fauna de biomas com diferentes características em um único local. Nesse estudo, utilizando métodos complementares (armadilhamento fotográfico e busca ativa), inventariamos mamíferos de médio e grande porte em três áreas (de 83 a 342 ha de vegetação nativa) em um ecótono entre a Mata Atlântica e o Pampa no Rio Grande do Sul, Brasil. Entre julho de 2017 e junho de 2018, registramos 22 espécies nativas de mamíferos pertencentes a sete ordens e 15 famílias, representando 46,8% de todas as espécies esperadas para ocorrerem na região (N = 47). Oito espécies estão ameaçadas no Rio Grande do Sul, quatro no Brasil, e uma mundialmente. Foram registradas também duas espécies exóticas (Sus scrofa e Lepus europaeus) e uma doméstica (Canis familiaris). As espécies mais frequentes foram Cerdocyon thous, Mazama gouazoubira e Dasypus novemcinctus, compreendendo 61% de todos os registros. A riqueza de espécies entre as áreas variou de 6 a 14, com pouca similaridade na composição entre os pares de áreas (de 4 a 13%), com apenas duas comuns entre elas (C. thous e Procyon cancrivorus). Comparando as assembleias estudadas a outras na Mata Atlântica e Pampa do Rio Grande do Sul, observamos que os pequenos remanescentes de vegetação nativa ainda possuem espécies ameaçadas de extinção no estado. Portanto, apesar das constantes pressões antrópicas detectadas nas áreas estudadas (caça e atropelamentos), os pequenos remanescentes de vegetação abrigam importantes espécies de mamíferos, e desempenham um papel essencial para a sobrevivência da mastofauna em longo prazo.

Predation of the black-and-white tegu (Salvator merianae) by the lesser grison (Galictis cuja)

, , , , , ,

This study describes the hunting and predatory behavior of the lesser grison on an adult black-and-white tegu as recorded by camera traps in an Atlantic forest remnant in the União Biological Reserve (Rio das Ostras, RJ, Brazil). This is the first record of a mustelid preying on this large lizard species and the first direct record of a hunting event of S. merianae by a mammal. The observed hunting behavior is heavily based on olfactory search, and the long struggle to kill and remove the prey from a burrow is described.


Predação de teiú Salvator merianae por furão-pequeno Galictis cuja. Neste trabalho descrevemos o comportamento de caça e predação de um lagarto Salvator merianae adulto pelo furão-pequeno, registrado por armadilhas-fotográficas na Reserva Biológica União (Rio das Ostras, RJ, Brasil). Este é o primeiro registro de um mustelídeo predando esta espécie de lagarto, e o primeiro registro direto de um evento de caça de S. merianae por um mamífero. São descritos o comportamento de caça baseado na busca olfativa e a longa luta até a morte e retirada da presa de dentro de um buraco no solo.