Morcegos cavernícolas do carste arenítico do Parque Nacional do Catimbau, nordeste do Brasil

,

A Caatinga do Brasil tem um alto potencial cavernícola e uma rica fauna de morcegos, sendo uma região prioritária para estudos e inventários sobre morcegos cavernícolas. Apresentamos aqui a primeira lista de espécies de morcegos cavernícolas do carste arenítico do Parque Nacional do Catimbau, em Pernambuco, no Nordeste do Brasil. Em 53 cavidades foram registrados 16 táxons e 13 gêneros de morcegos das famílias Phyllostomidae, Mormoopidae, Natalidae, Furipteridae e Emballonuridae. Populações de quatro espécies ameaçadas (Furipterus horrens, Lonchorhina aurita, Xeronycteris vieirai e Natalus macrourus) foram localizadas em oito cavernas, incluindo duas bat caves que abrigam populações excepcionais de morcegos. Lonchophylla inexpectata foi registrada em cavernas pela primeira vez. Tanto o potencial espeleológico quanto a riqueza de espécies locais não foram completamente amostrados, indicando que novas colônias e espécies ainda podem ser registradas na área estudada. Além da contribuição científica, nossos dados podem ser úteis para um futuro Plano de Manejo para o Parque Nacional do Catimbau, e também podem contribuir para algum ordenamento do espeleoturismo na área.


Cave-Dwelling bats in the arenitic karst of the Catimbau National Park, in Northeastern Brazil. The Brazilian Caatinga has a high speleological potential and a rich bat fauna, being a priority region for studies and inventories on cave dwelling-bats. Here, we present the first species’ list of cave dwelling-bats of the sandstone karst of the Catimbau National Park, in Pernambuco, Northeastern Brazil. Samplings in 53 caves resulted in 16 taxa and 13 genera of bats of the families Phyllostomidae, Mormoopidae, Natalidae, Furipteridae and Emballonuridae. Populations of four endangered species (Furipterus horrens, Lonchorhina aurita, Xeronycteris vieirai, and Natalus macrourus) were located in eight caves, including two bat caves holding exceptionally large bat populations. Lonchophylla inexpectata was recorded for the first time in caves. Both the local speleological potential and the bat species richness were not completely investigated, pointing out that new colonies and species may still be recorded in the studied area. Besides the scientific contribution, our data can be useful for a future management plan for the Catimbau National Park and can also contribute to set some ordering in the existing speleotourism in the area.